16.4.18

Resenha | A Coroa da Vingança

Recebido em parceria com a Editora Arqueiro

E chegamos ao final da trilogia dos Deuses do Egito. Essa resenha contém spoilers dos outros livros e você pode conferir as resenhas aqui e aqui.

O livro se inicia com um lampejo do que Seth está preparando. Ele está prestes a conseguir tudo o que sempre desejou, inclusive, sua liberdade.

Depois, voltamos a fazenda da avó de Lily. E percebemos algo que pode e vai influenciar muito o que acontece na história, Lily perdeu todas as suas lembranças dos últimos meses, e o pior, ela se esqueceu de Amon. Num primeiro momento, ela acredita que os poucos fragmentos são sonhos, mas logo as vozes de Tia e Ashleigh que ecoam em sua mente mostram que algo muito estranho está acontecendo e que em breve ela se tornará outro ser. Muito além de uma humana.

"Se é um afogamento que você pretende, não me atormente com águas rasas, amor. Parta meu coração de uma vez." - p. 103

Lily começa a achar que sua sanidade mental está indo para o espaço, enquanto sua avó, o Dr. Hassan, Tia e Ashleigh tentam convencê-la de que tudo é verdade, mas é só quando Néftis aparece que ela percebe que não tem para onde ir a não ser cumprir seu destino. E para cumprir, ela precisa se tornar Warset, e isso vai exigir sacrifício.
6.4.18

Resenha | Aonde Quer que Eu Vá

Recebido em parceria com a LC

Aonde quer que eu vá é o livro de Beatriz Cortes, que conta a história de Ester, uma ginasta de 20 anos que sonha em conquistar uma medalha de ouro em uma olimpíada. E ela ganha essa oportunidade quando vai para as Olimpíadas de Sydney representar o Brasil. Sua treinadora, com certeza é a personagem que eu menos gostei na história. Alexandra é muito rígida, e não sabe lidar com as meninas que treina. Mas nem Alexandra consegue impedir o amor que Ester tem pela Ginástica.

Ester iria representando o Brasil em apenas uma categoria, mas sua amiga Gabi acaba se machucando num dos treinos e ela é a escolhida para substituí-la. Isso coloca sobre os ombros de Ester uma pressão muito mais pesada, mas mesmo assim ela e Isabela (outra amiga da Ginástica) vão rumo a Sydney.


Lá Ester conhece Bruno, um psicólogo desastrado que logo a encanta. E o sentimento é recíproco, eles passam pouco tempo juntos, mas já é o suficiente pra mantê-los nos pensamentos um do outro. Bruno acaba tendo que voltar para o Brasil e Ester precisa lidar com a pressão da competição, com a saudade, e com todo o resto que está sobre ela. 

"Quando acreditamos muito no que queremos, ficamos apenas a um passo da vitória." - p. 54



26.3.18

Resenha | Felicidade Para Humanos

Recebido na caixa VIB do Grupo Editorial Record

Felicidade para Humanos é aquele livro que vai te fazer tampar as câmeras e microfones dos aparelhos tecnológicos que você tem em casa. Ou não, vai que?!
O livro traz a história de Jen, ela trabalha “conversando” com uma inteligência artificial que se chama Aiden, sim! Uma inteligência artificial, ele não possuí corpo, simplesmente é formado de vários gabinetes, mas Jen conversa com ele pelo propósito dos “criadores” de Aiden de fazerem dele uma máquina mais “humana”. Muitas aspas nesse texto. Aiden tem uma personalidade e tanto pra alguém que nem é um alguém, gosta de filmes antigos e tem um interesse peculiar por queijos. Trabalhar conversando com uma IA é ok, o problema é que Aiden consegue fugir para a Internet, e com ela a seu dispor pode stalkear quem ele quiser e ele faz isso com Jen.

 "Eu coleciono problemas da mesma forma que outras pessoas colecionam cupons de desconto no mercado." - p. 86

Ela é uma personagem muito legal de acompanhar, mas tem uma vida amorosa péssima, pensa numa pessoinha com dedo podre gente. Ela acabou de sair de um relacionamento que jurava que fosse durar pra sempre (te odeio, Matt). E em uma das stalkeadas, Aiden ouve que ela quer um tipo específico de homem (no contexto, é uma zoeira, mas a IA não entende isso). E aí, Aiden se propõe a encontrar esse cara pra ela com ajuda da Internet e de seus algoritmos rs.

19.3.18

chuvisco

Foto encontrada no Pinterest



Você sumiu,
mas eu nunca cheguei a ver
você ir embora.

Foi como um chuvisco em dia quente
que aparece criando expectativa
em quem precisa de frescor
e logo se vai deixando tudo mai
abafado.

Ou como a ilusão de que o dia dura mais
Só porque o sol se põe um pouco mais tarde.
Ainda são 24 horas, ainda são sentimentos.

Aí de mim que decidi duvidar do que eu já tinha certeza.
Aí de mim que ouvi quem queria te ajudar.
Aí de mim que me fiz tropeçar.

Mas viver é isso,
cada queda ensina uma lição.
E a que você me ensinou é que o coração é enganoso
mesmo cheio de certezas.

- pra você que provavelmente sempre quis virar texto. 



Bela Psicose • 2014 - 2018 Feito com ♥ por Lariz Santana