16.1.18

Resenha | Entre as Estrelas

16.1.18
recebido em parceria com a bertrand brasil


Entre as Estrelas nos traz a história de Max e Carys. Ele vivem numa sociedade onde os Estados Unidos e o Oriente Médio foram dizimados. Agora só resta a Europa numa utopia, cada um é responsável pelas próprias ações. 


A cada três anos, as pessoas precisam se mudar para uma nova comunidade multicultural – que são chamadas de Voivoidas – é numa dessas mudanças que Carys conhece Max. Ele é muito conformado e aceita todas as regras impostas dentro dessas comunidades. Uma delas é a Regra dos Casais, no caso, nessa sociedade, casais só podem existir quando são mais velhos (na faixa dos 40) quando eles estão “estabelecidos”. Já Carys, foi criada de forma a perceber se as regras impostas são saudáveis, ela gosta das relações e sente falta disso nessas comunidades onde os relacionamentos são superficiais por causa das regras. 

"Quando lhe dizem que você não pode ter determinada coisa, faz parte da natureza humana começar a desejá-la." - p. 148


Os dois se ligam e percebem que querem ficar um com o outro. Mas existem muitas regras. 
13.1.18

Resenha | O Urso e o Rouxinol

13.1.18

Um conto de fadas ambientado nas terras geladas da Rússia conhecemos Vasya, uma garota livre que não conhece as limitações. Dunya, sua ama, sempre conta diversos contos sobre lendas e mitos da sua região para ninar a menina. Histórias sobre o Rei do Inverno, Morozko, ou a própria morte são suas favoritas, o espírito se alimenta do medo é das guerras. Dunya conta que deve-se manter os espíritos bem alimentados e honrados para que a proteção da família não seja rompida, mas Vasya sabe que tanto Morozko quanto o Urso (seu irmão) são reais e que eles são um perigo ao povo.

O pai de Vasya, Pyotr vai até Moscou, mas ele acaba voltando com uma esposa, Anna, uma mulher perturbada pela capacidade de enxergar todo tipo de espírito. E a vida de Vasya acaba sendo limitada por causa de Anna que sabe que a menina é diferente. E a vê como mais um dos demônios que enxerga. As duas tem o mesmo dom, mas Anna tem um ponto de vista obscuro. Anna chama um padre para pregar contra esses espíritos que a comunidade alimenta e honra, mas isso só inicia uma guerra na qual só Vasya tem poder de ajudar o povo.

"Aí vem alguém que seria bom comer. Vasya espiou a entrada e viu um homem de cabelo dourado coberto de poeira e o manto escuro de um padre.
Por quê?
Está cheio de desejo. Desejo e medo. Ele não sabe o que deseja e não admite seu medo. Mas sente os dois com uma força a ponto de estrangular." - p. 104


11.1.18

Resenha | Romance Entre Rendas

11.1.18
REcebido em parceria com a Arqueiro



E chegamos ao fim da série As Modistas, e sinceramente, esse não era o livro que eu esperava pra encerrar. Tive altos e baixos com a série, gostei muito do primeiro livro, o que me fez continuar as leituras. O segundo não foi lá uma grande história, mas ainda assim, foi bom. O terceiro deixou muito a desejar, e o quarto... 


Vamos falar um pouco da história. Vocês lembram da Lady Clara? Sim, a que as nossas irmãs Noirot fizeram uma mudança radical no estilo, ela mesma! Pois é, ela é a protagonista desse quarto livro, então, saem as Modistas do foco e entra uma das secundárias dos outros, ou seja, esse livro é uma espécie de extra. Leiam as resenhas dos três primeiros volumes aqui (livro 1 | livro 2 | livro 3).


Clara é muito bonita, algo que é citado nos outros livros, e claro, dona de um estilo incrível. Ela adora recusar pedidos de casamento indesejáveis, já que os rapazes só querem um troféu pra exibir por aí, bem no estilo “olha só esse peixe que eu pesquei”, mas ela não quer nada disso. Ela quer um casamento de verdade. Então por enquanto ela vai fugindo desses pedidos e buscando fazer algo da vida dela. 


Em determinado momento da história, Clara precisa da ajuda de um advogado, pois precisa acertar a situação das meninas da Sociedade das Costureiras para a Educação de Mulheres desafortunadas e ela conhece o Corvo. Mas na verdade, Radford (o Corvo) é um amigo do irmão de Clara, meio que eles já tinham se visto. Radford é apresentado como Corvo porque na época que estudava em Eton preferia ler a ficar com os garotos da sua idade.
4.1.18

Resenha | Psicose

4.1.18


Por que eu demorei tanto pra ler Psicose? Sinceramente, eu não sei. Um livro desses, bicho. 

Acho que todo mundo sabe mais ou menos do que se trata, mas vamos lá. Norman Bates é um homem de 40 anos, que sempre teve uma estranha relação com sua Mãe. Por essa ligação com a Mãe, nunca teve um relacionamento com outras mulheres, e virou um homem solitário que vive de cuidar do Motel que ele e a Mãe construíram. Só que agora esse Motel está numa rota de uma estrada que poucos usam. Norman tenta conviver com as exigências da Mãe, até que chega  Mary Crane ao Motel Bates e torna as coisas confusas.


Mary Crane é funcionária de um cara bem sucedido, mas ela se cansa de ver o patrão se dar bem na vida sendo que é de uma índole ruim, enquanto ela tem que ficar esperando o seu noivo Sam, pagar uma dívida para poderem finalmente se casar. E é nisso que ela decide roubar 40 mil do patrão para poder quitar a dívida de Sam e ter uma vida com ele. No caminho até a cidade de Sam, ela desvia da estrada principal e acaba na rota do estranho Motel Bates e ali ela conhece Norman e um mal presságio chega.


"[...] É engraçado como acreditamos saber tudo sobre uma pessoa só porque a vemos frequentemente ou porque temos uma forte ligação emocional com ela." - p. 114


Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©