24.3.17

Resenha | Eu Estive Aqui

24.3.17

Eu Estive Aqui fala de um assunto pesado, que ainda tem muitas questões não resolvidas. E a leitura tem alguns gatilhos.

Meg Garcia é a melhor amiga de Cody. Meg Garcia é encontrada morta num hotel. Meg Garcia se suicidou tomando veneno.

Cody recebe um email da amiga – que estava programado – dizendo que precisou dar fim à própria vida e que essa decisão era dela e de mais ninguém.

Cody perde a sua outra metade. 
 
"Você nunca conhece as pessoas de verdade, não é?" - p. 76

Esse é o nosso enredo principal, em Eu Estive Aqui vemos uma melhor amiga – Cody – lidando com o luto do suicídio de Meg.
20.3.17

Resenha | Desapaixonante

20.3.17
E-book recebido em parceria com o autor

Olá você! Hoje a resenha é de livro nacional do Marvin, autor parceiro do blog. Lê a resenha toda porque no final tem uma notícia maravilhosa!

Depois de ler Desapaixonante eu fiquei louca pra alguém – ou o próprio autor – criar uma ANNA real. 
"Melhor a dor da flecha logo sentida do que a ilusão aos poucos alimentada."


Mas vamos com calma, vocês vão entender o que é ANNA.

ANNA é a sigla pra Agência do Negócio Nada Apaixonante onde Sávio e Milena trabalham. Os dois são muito amigos e iniciaram esse trabalho quando uma ex-namorada de Sávio – que se chama Anna – deu um pé na bunda dele ocasionando um coração partido difícil de resolver. 
"Seria fácil se desapaixonar, apenas partindo desse ponto de vista, mas as questões do coração nunca permitem saídas fáceis."
Pessoas recorrem aos serviços da Agência quando querem se desapaixonar de alguém. Sim, isso mesmo. Sávio e Milena encontram aspectos ruins nas pessoas em que seus clientes estão apaixonados, depois, mostram os registros ao cliente – a verdade dói, mas cura sabe? – e este na maioria das vezes supera.


13.3.17

A liberdade solitária de Tiago Iorc

13.3.17



 Olá você! No vídeo de 50 Fatos Sobre Mim eu citei que sou Cristã, mas por algum motivo, eu não compartilho tanto esse lado meu com vocês. Pode ser pelo fato do blog ser voltado mais para os livros, mas o Bela foi criado também com a intenção de ser um blog pessoal. Então, hoje (e provavelmente nessa semana) vou compartilhar com vocês essa parte tão importante da minha identidade.

Desde criancinha eu vou na igreja, sempre cantei nos corais da vida que existiam e existem por lá. Hoje em dia, faço parte do Ministério de Louvor da igreja e esse é o chamado que Deus tem pra mim e eu amo fazer o que faço. É sensacional quando você se sente confortável e percebe que aquilo é o que Deus te deu nas mãos pra fazer. Por isso, eu sinto que Deus usa muito a música pra falar comigo, seja ela gospel ou “secular”. E como alguns de vocês devem ter noção, eu gosto muito do Tiago Iorc e uma das músicas dele que eu acho mais bonitas é Liberdade ou Solidão. Um dia estava eu ouvindo-a e me veio a inspiração do meu querido Pai e eu escrevi sobre. 

O que é liberdade pra você?


Livre, era tudo o que ela mais queria ser 
Livre, pra ir e vir e ser o que quiser 
Quando quiser e se quiser.

É um fato que em algum momento da nossa vida vamos desejar a liberdade, a independência. Ela pode ser dos nossos pais, de um emprego desgastante, da escola ou de algum relacionamento – sendo amoroso ou não. Ansiamos por novos lugares por estarmos cansados de onde estamos ou até cansados de nós mesmos, de quem somos e por determinadas influências desejamos ser alguém ou algo que não fomos chamados a ser.

Queremos fazer algo quando e se quisermos.

Livre, se já não faz sentido
ou nunca fez 
Livre, pra encontrar motivo outra vez 
Mais uma vez ou de uma vez.

Quem ou o quê é o motivo?


 
Ao longo da vida e até mesmo da caminhada cristã eu acabo me questionando de pôr que estou fazendo algo – e acredito que você, sendo cristão ou não já passou por isso. Pra que eu estudo isso, por que faço determinado curso, por que eu não tenho o chamado pra tal coisa e fulano tem. Ou pode ser o contrário, por que eu sou desse ministério? Por que não faço esse curso? Enfim… são muitas perguntas.

O ser humano sempre precisa ver sentido no que está fazendo e muitas vezes o cristão, enganado pelas mentiras do inimigo, se perde e tudo para de fazer sentido. Mas felizmente, a graça e misericórdia de Deus existem sobre nós. Quantas vezes você estava desanimado, ou prestes a fazer algo errado ou já fora do Caminho não ouviu O Motivo? Quantas vezes estamos no fundo do poço e '‘encontramos o Motivo outra vez, mais uma vez’'. E apesar de Deus ser amor, Ele também corrige, então tem aquela situação onde depois de muito insistir nos nossos próprios passos, percebemos que não é ali que deveríamos estar. E Deus nos dá a visão espiritual, deixamos de ser cegos e “encontramos o motivo de uma vez’'. É o despertar que nos traz ao arrependimento de termos gasto a nossa liberdade de forma errada.

 
“(…) Todos conhecem o tipo de vida de uma pessoa que quer fazer o que bem entende: sexo barato e frequente, mas sem nenhum amor; vida emocional e mental detonada; busca frenética por felicidade, sem satisfação; deuses que não passam de peças decorativas; religião de espetáculo; solidão paranoica; competição selvagem; consumismo insaciável; temperamento descontrolado; incapacidade de amar e de ser amado; lares e vidas divididos; coração egoísta e insatisfação constante; costume de desprezar o próximo, vendo todos como rivais; vícios incontroláveis; tristes paródias da vida em comunidade. E, se eu fosse continuar, a lista seria enorme.” - Gálatas 5:19-21 (A Mensagem)


 
 
Livre, pra rir do que é ruim 
então chorar de feliz.
 
 
Quando temos Cristo passamos por provações e muitas delas são difíceis, mas a Palavra fala que Deus não nos dá um peso maior que suportamos. Essas provações nos trazem o amadurecimento por meio do aprendizado. Ficamos felizes por termos passado pela prova. É a sensação de realização em Deus.

“Portanto, alegrem-se com isso, ainda que agora, por um tempo, vocês precisem suportar muitas provações. Elas mostraram que sua fé está sendo experimentada, e ela é muito mais preciosa do que o ouro. Isso resultará em louvor, glória e honra no dia em que Jesus Cristo for revelado.” - 1 Pedro 1:6-9 (NVT) 
 
 
Livre, não por acaso, acaso não condiz 
Quando condiz com o que se quis.
 
Quando nossa liberdade se baseia em coisas do mundo, se essa “não condiz com o que se quis” somos frustrados, nos entristecemos e ficamos com raiva. Mas quando você é livre em Cristo, possui a consciência de que sua liberdade “não é por acaso”. Um alto preço foi pago.

No refrão da música temos quase a mesma estrutura, mudando de um para o outro somente a última frase, fica assim:
 
E só o tempo só pra descobrir 
se a liberdade é só solidão 
E só o tempo só pra descobrir 
O que é ser 
O que é pra ser 
O que vai ser 
O que é viver. 

A liberdade longe de Cristo pode trazer felicidade momentânea, mas com o tempo a gente para de ver sentido naquilo e nos vemos sozinhos ou acabamos com essa sensação. Se no refrão acima você substitui “tempo” por “vontade de Deus” encaixa perfeitamente com o que eu estou querendo dizer.
 
E só com a vontade de Deus pra descobrir 
se a liberdade é só solidão 
E só a vontade de Deus pra descobrir

O que é ser nossa identidade em Cristo

O que é pra serAlgumas vezes Deus precisa dar pausas em algum plano dEle pra nós porque não estamos no centro da vontade. Primeiro Ele nos corrige.
O que vai ser Já que quando somos livres em Cristo entregamos nossas vontades/futuro a Ele.

O que é viver. - Só nEle temos vida plena e de verdade.
 

Pra que deus nos deu liberdade?

 

“Cristo nos libertou para viver uma vida livre. Permaneça nessa liberdade! Nunca mais aceitem sujeitar-se a nenhum tipo de escravidão. (…) Não há dúvida que Deus chamou vocês para uma vida de liberdade. Mas não usem essa liberdade como desculpa para fazer o que bem entendem, pois, assim, acabarão destruindo-a. Em vez disso, usem a liberdade para servir ao próximo com amor. É assim que vocês serão cada vez mais livres, pois o ensino da Palavra de Deus resume-se numa única frase: ame o próximo como a você mesmo. Isso é que é liberdade. Se vocês vivem como cão e gato, vão acabar se destruindo. Querem perder a preciosa liberdade? Vivam nesta liberdade, motivados pelo Espírito de Deus.” - Gálatas 5:1,13-16 (A Mensagem)


Eu realmente desejo que todos nós possamos viver a verdadeira liberdade, essa que Cristo conquistou pra nós. E da forma correta, claro. Para que outras pessoas sejam atraídas pra vida plena que Deus tem pra cada um do seus filhos.
 

8.3.17

Extremamente Alto e Incrivelmente Perto + 30 e Poucos anos e uma máquina do tempo

8.3.17

Oskar Schell tem 9 anos, o menino perde o pai no ataque ao World Trade Center. Oskar é muito inteligente, mas essa perda faz com que ele passe por um período de sofrimento. Agora ele vive apenas com a mãe e a avó paterna que mora de frente.

Dado dia um vaso quebra e revela uma chave com o nome “Black”. Adivinha o que a cabeça criativa do menino acha? Que deve ser algo vindo de seu pai, um meio dele dizer algo a Oskar. O garoto decide ir atrás de todos os Black’s em Nova York para testar a chave.



O livro tem uma narrativa densa, a carga emocional dele é pesada já que nosso personagem está num período de luto. E além do ponto de vista de Oskar, também temos seus avós paternos contando sua história, eles são sobreviventes da segunda guerra mundial, vindos da Alemanha. Esse lado é carregado de tristeza e outras emoções.

O autor construiu todos os personagens com uma complexidade incrível, nenhum deles é raso e estão ali só pra aumentar o número de palavras no livro. As vozes de cada um são bem diferentes, o que mostra o domínio do autor sobre a escrita. Fora que a diagramação é sensacional, contendo fotos, páginas bem coloridas, escritos... enfim, tudo pra experiência da história ser mais viva.

Apesar de ter lido devagar, foi uma leitura muito emocionante e significativa.


Outro livro da Rocco que eu li foi 30 e poucos anos e uma máquina do tempo. Ele conta a história de dois amigos que estão numa fase BEM ruim. Karl é ex-membro de uma banda e agora, dono de bar, ele encontrou por acaso um buraco de minhoca enquanto procurava seus coturnos tão amados. Nisso ele reencontra Wayne DeMint que costumava frequentar seu bar e muito convenientemente ele é cientista na área de computação. Karl vê uma oportunidade aí e confia as informações de viagem no tempo que possui.

Isso acaba rendendo e vira uma espécie de negócio. Pois é, Karl tem a regra de o buraco de minhoca só pode ser usado para ir a shows de rock. Mas em determinado momento, as coisas dão MUITO errado.



Com uma narrativa em primeira pessoa no ponto de vista de Karl, conseguimos principalmente ver todas as intenções do personagem. Em alguns momentos da leitura ele era extremamente egoísta... A autora tinha uma ótima ideia nas mãos, mas ela deixou o que deveria ser o plot principal a máquina e viagem no tempocomo secundário e junte isso com personagens de passados e desenvolvimento muito semelhantes e não tem muita coisa nova. Somos apresentados a Lena durante a leitura, ela é uma astrofísica e vai ajudar Karl no que seria o principal problema da história. Achei que ela seria tipo A personagem e de primeira, realmente parece. Mas depois...


Enfim, pra mim o livro não funcionou. Apesar de gostar de leituras que incluem música, essa não fluiu como eu gostaria porque todo o enredo acaba de fundo de plano para a música sendo que deveria ser o contrário. 
 
Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©