4.3.14

[Crônica] Nós e o medo

4.3.14


O barulho forte de um trovão lembrou-me do medo, aquele velho medo infantil da chuva que hoje se transformou em certo pavor de questionáveis atitudes das pessoas. Ou será isso também uma forma de se abrigar dos próprios medos? 

Colocar alguém pra baixo para continuar sendo o "centro" das atenções; gritar no meio de uma discussão para se manter como líder com receio de perder o "lugar ao topo"; se fazer de vítima com medo de perder um lugar que conseguiu de modo bastante duvidoso. 

Afinal, pra que tanto medo? Ele só serve para te fazer mal, em algum momento você vai ter o prazer passageiro de "ser o poderoso". Só que no fim do dia, você vai estar pior do que as pessoas que você fez se sentir amedrontada. 

Criar 'amizades' dessa forma, ou criar um lugar em algum grupo, ou até mesmo para esconder quem você é realmente, não irá adiantar de nada. Uma hora a máscara cairá, os amigos irão sair da linha do temor e você irá perder o seu lugar. Não alimente o medo, ou ele se alimentará de você.

3 comentários:

  1. Amei a crônica. Mas muitas vezes o medo vence.
    Eu sofro de medo obsessivo e muitas vezes e mais forte do que você imagina o que gera o pânico :/
    Não acho fácil lutar contra eles, eles são mais fortes que eu.

    http://rotinadafelicidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente me definindo!
    Amei o texto, parabéns!

    http://inverso-mente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto, eu tenho muito medo de arriscar as vezes e isso atrapalha muito, faz vc perder muitas oportunidades.
    Não conhecia o blog, mas já estou seguindo

    beijos, Bia Caspirro
    http://www.pontoemcomum.com/

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©