10.12.14

[Conto] Verdade Inventada

10.12.14

Sim, com certeza ele se escondia do monstro. Ele vivia com o pior que poderia existir.

           Nicholas era um rapaz de 20 e poucos anos. Morava sozinho, trabalhava e estudava a noite. Sua casa era um tanto organizada pra quem vive sozinho e é atarefado. Pena que só a casa era organizada.
          Em um desses dias normais em que ele acordava às 6h, tomava um banho, se arrumava e tomava seu café algo não tão normal aconteceu. Seu reflexo no espelho começou a questioná-lo.
- Você realmente se acha tão bom assim? - o rapaz ficou assustado olhou para cada canto da casa até perceber que quem falava era ele, quer dizer, não ele, mas ele.
- Como? - questionou 
- É, você se sente tão auto suficiente, tão dono de si. Se sente tão bom em tudo. Sozinho, mas tão organizadinho… Pena que aí dentro não é assim, né? - Nicholas ficou espantado e disse: - Quem você pensa que é pra falar assim? Você é só uma porcaria de reflexo.
- Haha. Uma porcaria de reflexo? Eu sou você. Eu sou uma versão de você que tá ai escondida. Que você mascara todos os dias com a vida perfeita que você criou pro resto do mundo ver. Mas eu não, meu caro. Eu vejo você. - Nicholas deu um murro no espelho, mas o reflexo continuou.
- ISSO! QUEBRA. DESCONTA SUA RAIVA, MAS SAIBA QUE DESSA VEZ VOCÊ NÃO VAI CONSEGUIR ME CALAR, SE CALAR.

Ele ficava cada vez mais irritado com o que dizia o reflexo. Começou a jogar coisas no espelho, na parede. Mas o reflexo insistia.

- Desculpe, me alterei um pouco. Continuando. Você criou uma mentira e acreditou tanto nela que ela virou uma verdade pra você, mas ai no fundo, você sabe que é tudo mentira. Acorda, se manca. Sai da sua mentira. 
- Por que você tá me falando essas coisas? Eu sei que não sou perfeito, mas nem por isso vivo numa mentira.
- Viu! Essa é a prova que você caiu na própria estória criada por essa mente cheia de lutas internas que você esconde. Eu achei que você conseguiria sair dessa. Realmente, acreditei… Mas é preciso aceitar quem você é. Quem você é, de verdade
- CALA A BOCA, CALA A BOCA. NÃO QUERO MAIS TE OUVIR, PARA!
- Eu tentei, Nicholas, tentei mesmo. Dependia de você. Só de você.

O reflexo se calou e foi embora. Nada mais se ouviu no apartamento.

Conto disponível para download aquiPs: O conto foi inspirado pela foto do início do post.

12 comentários:

  1. Olá Ana , tudo bem ?
    Que interessante essa ideia de se criar um conto a partir de uma imagem :) Achei criativo e interessante.

    Super me identifiquei com o Nicholas e acho que na verdade todo mundo que ler vai se identificar um pouco :) quem nunca se martirizou com rajadas de auto criticas e questionamentos internos que atire a primeira pedra rsrsrs
    Mas a nossa desvantagem em relação a ele é que isso não sessa ao se distanciar do espelho rs

    Parabens

    Bjoss
    Ariane
    www.resenhasdelivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. No caso dele era só o espelho porque ele já estava imerso na mentira. Obrigada pela visita ;)

      Excluir
  2. Achei a ideia do conto genial, só acho que o diálogo poderia ser um pouco mais elaborado. Muito bom. :)

    Beijinhos ;* | Phantasmagorik

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que reflexivo. As pessoas acabam se "fazendo" tanto, pintando uma imagem perfeita para exibir aos outros, enquanto que por dentro elas são podres e estão imersas na grande mentira que criaram. Seu texto me lembrou o livro O Retrato de Dorian Gray, que fala de um rapaz considerado super bonito, que nunca envelhecia, apesar do tempo e de todas as atrocidades que ele cometia. Mas ele tinha um retrato dele mesmo que, esse sim, envelhecia e ficava horrendo com o passar do tempo, digamos que compensando o fato de Dorian continuar belo. É um ótimo livro, se tiver a oportunidade, leia!

    Beijos
    Leitores Forever

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o conto! Breve, sucinto e reflexivo. Pretendo voltar no seu blog mais vezes. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. O tema da mascara sempre rende ótimas reflexões, seja mascaras sociais ou individuais. Acho que pelo fato de assumimos vários papeis sociais acabamos nos mascaramos e, às vezes, vivemos mentiras nem tão sinceras assim.
    Ótimo conto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Parabéns Ana, pelo conto. Foi breve, rápida mas objetiva. A imagem é bastante forte e combinou perfeitamente bem com o conto escrito por ti. Realmente um choque de realidade para aqueles que se escondem em máscaras e principalmente de si mesmo.
    Beijos e sucesso.
    chuvaelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Parabéns! Amei teu blog!!!!

    http://mundocriz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo conto, você escreve bem!
    Achei muito interessante e reflexivo. Continue escrevendo assim.

    Beijos
    Carolina
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©