2.1.15

[Cronicando] Retrato

2.1.15

“Você poderia sorrir mais;
e falar mais.”
“Que tal ser mais simpática?”
“Se solta mais!”
“Tenha mais senso de humor;
não tem nada brincar um pouco.”
“Você é muito agoniada.”
“Não tem problema pra mim você ser assim”
, mas pelo jeito tem sim.
“Você devia tentar mudar.” E se eu não quiser mudar, tenho que tentar mesmo assim?
Eu gosto de mim desse jeito.

“Melhorar de vez em quando não é ruim.” Será?
“Para de achar que seu problema é maior que o dos outros!” Eu sei que não é maior, mas é um problema pra mim. Não tenho esse direito?
“Fulano não acharia ruim.” Que pena que eu não sou fulano.
“Quanto drama, pra que isso?” Mas não é dr... “É SIM!”
“Você tá chorando por isso?”
“Seja mais animada;
fale mais;
sorria mais.”
Já ouvi isso hoje, obrigada!

       Todo mundo quer que você seja algo. Só esquecem de perguntar para saber se você quer ser isso. Então, antes de ser alguém que você não é, antes de mudar, saiba se é isso que você quer! Nem toda mudança sugerida deveria ser seguida. E não ligue se algumas dessas sugestões te machucarem. Leve só as palavras que você acha que deveria guardar, o resto? Jogue fora. Você sabe quem você é. Não os outros, eles apenas veem e dão opinião.

PS: Fui inspirada pelo poema do Charles Bukowski "Comentários sobre meu novo livro de poemas"

24 comentários:

  1. Eu me identifico um pouco com essa descrição de "eu poderia falar mais e ser mais simpática". Quando mudei de escola, achei que mudaria e me tornaria mais sociável, mas três anos depois, eu continuo a mesma e me sinto feliz por não ter mudado e me tornado igual às pessoas que desprezo hoje em dia.
    A propósito, as imagens que você escolhe para ilustrar as postagens são muito bonitas.


    Leitores Forever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Sei lá, mesmo que seja ruim pros outros pode não ser ruim pra você mesma e isso que importa. Obrigada! Eu demoro mais procurando a foto que editando o post em si kkkkk

      Excluir
  2. Bem, eu concordo com seu retrato. Parece que tudo se resume a uma comunidade de hábitos totalmente iguais, em que pessoas mais "quietas e fechadas" não deveriam ter vez.Poderiam simplesmente nos deixar em paz, se não queremos mudar. sentimentopoeticos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, os quietos e fechados tem que se adequar ao resto. SÓ QUE NÃO!

      Excluir
  3. As pessoas gostam de ditar nossas atitudes,dar palpites na nossa vida sem nos perguntar se queremos que se intrometa ,sem pedirmos seus conselhos quando alguém vem me dizer algo assim:“Você devia tentar mudar" me da muita vontade de dar uma resposta igual a sua ,e se eu não quiser mudar e tiver satisfeita comigo assim ....
    Bjs Mary
    Blog;http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz esse retrato por que justamente eu tava cansada de não dar a a resposta. Ai fiz e desabafei.

      Excluir
  4. "Seja mais animada;
    fale mais;
    sorria mais.”

    É praticamente a impressão que todo mundo fica de mim, porque eu sou muito na minha. Só me "solto" mesmo com pessoas super conhecidas. Tenho pé atrás com todo mundo, eu acho. Não gosto de confiar logo de cara. Um professor no colégio já escreveu "apática" durante uma avaliação sobre mim, e dói até hoje. Só que, sei lá, odeio essa gente toda alegre, que precisa falar alto e rir toda hora. Gosto do meu casulo, e acho que não faço mal a ninguém sendo assim. Muita gente já tentou me mudar (inclusive, eu já me convenci muitas vezes de que precisava dessa mudança), mas acho que a gente tem que se aceitar como é. Se a gente só for feliz com a gente mesmo, que se dane. Melhor viver sozinha do que fingir ser alguém que você sabe que não é!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também já ouvi isso de um professor no 8° ano. Exatamente. Doi e por a gente ser mais fechado, acham que a gente não sente nada. Já me levaram no psicólogo por não ser faladeira e ficar na minha... "Depressão" Pelo menos a psicologa me entendeu kkkk

      Excluir
  5. Eu sou muito tímida (até demais), então me identifiquei muito com o texto, meus parabéns pela originalidade, e pela desconstrução dos paradigmas que estamos acostumados!

    Beijão!
    Boneca de Pano Rosa

    ResponderExcluir
  6. Assim como a Cris comentou ali em cima também me identifico muito com essa parte de falar mais e ser mais simpática. Sempre fui muito quieta e são inúmeras as vezes em que escutei comentários do tipo "nossa, você não fala?" ou o antipático "o gato comeu sua língua?". Durante um bom tempo isso me fazia retrair ainda mais, mas agora faço pouco caso, sou anti-social mesmo e parei de me importar com o que as pessoas pensam sobre isso. De certa forma, isso é libertador. Acabei de conhecer o blog e adorei!

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, já ouvi muito isso... "Por que você não fala? Tá triste? Pelo amor de Deus, se comunique!" Kkkk

      Excluir
  7. Olá!

    Eu adorei essa crônica por alguns motivos: não é todo dia que estamos de bem com a vida ou com todos, às vezes ficamos assim por bastante tempo e as pessoas não entendem isso, não entendem que o problema é com a gente e não com elas, acabam tentando ajudar de uma forma nada agradável. Além, é claro, de que quando não estão bem, não querem que façam o mesmo que elas fazem.

    Beijos literais,
    Luiz Henrique (Luke)
    instanteliteral.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, querem ajudar o que não tem que ser ajudado... e a gente diz isso e acham que a gente que não aceita a ajuda...

      Excluir
  8. Me identifiquei em certa parte! ^^
    Sempre fui mais quieta e na escola era como se a minha opinião não contasse em momentos importantes, me cansei, queria ser escutada e ter minha voz respeitada e meu silencio também, por isso me fiz ser escutada diante de algumas situações erradas na minha sala, julgamentos que eram feito contra colegas que não estavam nem na sala para se defender. Disse o que pensava e sei que esse foi o grande motivos de algumas alunas da sala terem me ignorado pelo resto do ano! Mas não me arrependo de nada, gosto de quem eu sou, de quem me torneio ! :D De certa forma tenho orgulho de ser a menina quieta que diz o que pensa quando necessário!

    Ótima crônica!
    http://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na escola costumam ter receio de mim rs primeiro porque dizem que meu olhar é muito forte e diz "odeio gente" e outra porque quando eu não gosto de algo ou alguém deixo bem aparente... Então já viu!

      Excluir
  9. Olá!

    Infelizmente, a sua crônica é muito atual e arrisco dizer que será por muito e muito tempo. Vemos o mundo com nossas próprias lentes e queremos que todos sigam aqueles moldes que preferimos (ou, como ocorre na maioria das vezes, pensamos preferir)!

    Isso me lembra uma frase (razoavelmente clichê): quando apontamos o dedo indicador para outros, três dedos apontam de volta para nós... As pessoas preferem se preocupar com outros e esquecem que não são perfeitas como querem imaginar!

    Parabéns pela reflexão! É sempre bom para treinar a escrita e encarar a realidade de uma forma mais crítica.

    Um grande abraço e muitas leituras! Feliz 2015!

    Ana Carolina Nonato
    Blog Seis Milênios
    http://seismilenios.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?
    Uma ótima reflexão para começar o ano...me identifiquei muito, as pessoas vivem tentando me mudar "leia menos", "converse mais" entre outras coisas....tão chato...
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana, me identifiquei bastante com o seu texto. Sou anti-social, tímida e um pouco arrogante, tenho que admiti. Mas que foda-se sou assim, sempre fui assim. Quero mudar, mas não pelas opiniões dos outros, mas pelo meu conceito de mudar.
    Adorei seu texto.
    http://chuvaelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou taxada de arrogante porque não sou a miss simpatia, ai antes de a pessoa vir falar comigo ela já acha isso e eu não sou do tipo que fica: olha eu não sou assim" eu simplesmente deixo...

      Excluir
  12. A gente podia nascer com filtro, né? Assim poderíamos escolher o que absorver e jogaríamos fora essa galera querendo mudar todo mundo. Ou esse pessoal podia nascer com semancol, e aprender que cada um é de um jeito e pronto.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  13. Oi Ana! Que crônica linda! É isso mesmo sabe... as pessoas vivem nos impondo seu rótulos e padrões e muitas vezes nem param para ouvir o que queremos, o que sentimos,o que pensamos a respeito! A grande verdade é que temos que nos amar mais.

    bjs

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©