5.6.15

Resenha | Vango #1

5.6.15

Olá você! O pessoal da Melhoramentos entrou em contato comigo perguntando se eu queria receber o lançamento deles e eu falei: CLARO! E cá está a resenha pra vocês!

Vango é um rapaz muito peculiar. Ele fala cinco línguas que aprendeu sozinho. Fora isso, ele consegue escalar muros, pular de prédio em prédio como se fosse natural. Ele conhece todo mundo, mas ninguém sabe nada sobre ele. Ele também sabe que alguém desde que ele era apenas uma criança o persegue. 

No início da leitura, Vango e sua babá são achados numa ilha. E esse é o ponto inicial pra uma série de perguntas que não serão respondidas: Quem ele é realmente? Quem são seus pais? Por que ele foi parar naquela ilha? O rapaz tem paranoia, ou seja, acha que tudo e todos estão tramando contra ele e por isso, muitas vezes as pessoas não o ajudam na busca de saber quem realmente o persegue. Por ter essa doença e saber falar várias línguas e conseguir fazer coisas que pessoas "normais" não conseguiriam, alguns acham que Vango não é humano.

Vango cresceu sem saber quem e agora está em Paris aos 19 anos. Ele está no seminário e hoje é dia de se tornar Padre. O problema é que acontece um pequeno imprevisto que cria toda a confusão que veremos ao longo da leitura.

Vango

O início da leitura é bem misterioso. São muitos segredos e dúvidas. E é até meio aterrorizante, pela situação em que se começa o livro. Aqui já é introduzida uma personagem importante: Ethel. Ela é basicamente a única pessoa que pode ajudar Vango a sair da confusão que ele entrou. O problema é que ela precisa fazer os que estão ao seu redor a confiar nela, coisa que é difícil, já que todos estão contra Vango. Temos aqui um certo Delegado (muito chato diga-se de passagem) que quer tirar vantagem da encrenca em que o jovem está. #NãoCurtiEsseCara

Vango
Vango Vango é um personagem cativante apesar de todo o segredo envolvido em relação a ele. E na verdade, foi o único personagem que eu realmente me senti conectada.
A leitura é dividida em três partes. E cada um dos capítulos se passa em algum ano diferente, ou dias, meses e semanas depois. Esses "pulos" no tempo durante a história de Vango me deixaram um pouco confusa. Às vezes eu precisava voltar no início do capítulo pra saber em que momento da história eu estava. A narrativa é em terceira pessoa. Os capítulos são curtos, o que é muito bom!

Como vocês podem ver pelas fotos, a cor da fonte é marrom ?avermelhado?  (que detalhe meigo <3) que faz combinar com toda a diagramação do livro. O ritmo de leitura, apesar da confusão em algumas partes, é boa. Não é uma leitura rápida, por envolver a história mundial, como por exemplo: a primeira viagem do Zepelim, ascensão de Hitler... A narrativa acontece entre os anos de 1914 à 1934.  Inclusive, nas últimas páginas temos pequenos relatos de cada um dos eventos que eles citam, o que é uma mão na roda pra quem não gosta de história (o que não é meu caso). Foi inclusive essa viagem pela história que me cativou a ler o livro. Não se preocupe, não é algo maçante. Não é como se você tivesse em sala de aula! Haha

O fim é bem "Cadê o outro livro?". Eu achei que algumas respostas, apesar de ser uma duologia, poderiam ter sido dadas nesse livro. Ficaram muitas pontas soltas pro segundo volume "Um príncipe sem reino", mas é isso aí! Quero esse segundo livro pra ontem.

Vango
Eu e minha mania de colocar muitas fotos rs
Vango
Enfim, essa leitura foi um tanto surpreendente pra mim. A escrita do autor é ótima e ele sabe bem usar os eventos históricos! Se você gosta de história, leia. Se não gosta, leia também!

"Existem pessoas que nos dão vontade de sair navegando para bem longe e, de preferência, por muito tempo." 
- página 42



4 comentários:

  1. Oi, Ana!

    Tenho lido algumas resenhas sobre esse livro. E tenho gostado das críticas. Eu goto muito de narrativas que envolvem fatos históricos com ficção. O mistério é sempre o fator que aguça minha curiosidade.
    A primeira coisa que me chama atenção é Vango é a capa. E parece que a editora caprichou em toda a diagramação.


    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oláá
    Já ouvi falar bastante do livro e parece ser muito bom para quem curte o gênero, inclusive a capa e a edição em geral está linda, sua resenha está ótima e adorei saber mais sobre

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. OI Ana, tudo bem? Já tinha lido algumas outras resenha desse livro, e apesar de gostar dessa mistura de ficção e realidade, não me interessou muito, não gosto de livros mais históricos. E essa narrativa que tem esse pulos me causam um certo incômodo porque também fico meio confusa. No mais, adorei a diagramação... adoro quando fazem coisas diferentes e ficou show essa fonte marrom, as imagens também são ótimas.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bom?
    Recebi o livro essa semana e estou com boas expectativas. Não sabia que tinha esse viés histórico, mas gostei bastante. Acredito que a história seja rico de detalhes interessantes e estou ansiosa para conhecer a trama.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©