11.1.16

Resenha | Ela Não É Invisível

11.1.16
ENEI


Olá você! O livro de hoje é Ela Não É Invisível. Laureth, tem 16 anos e é cega. Ela tem um irmão chamado Benjamin que tem 7 anos de idade e vive com um corvo de pelúcia chamado Stan. Ela e a família moram em Londres. Certo dia, ela que cuida dos emails do pai - que é um escritor - recebe um e-mail um tanto quanto inusitado. O caderno que seu pai anota todas suas ideias foi encontrado em Nova York. O problema? Até onde Laureth sabe seu pai deveria estar na Suíça e o pior? Faz alguns dias que ele não dá notícias. O pai de Laureth estava escrevendo "aquele" livro sobre coincidências. E é isso que você precisa saber por enquanto.


A narrativa em primeira pessoa feita pela protagonista Laureth, nos dá uma visão do que é o mundo pra uma pessoa cega . A personagem foi bem desenvolvida. Ela não é aquela deficiente visual que já se acomodou com sua situação, mas também não é aquele tipo de personagem que é idealizado demais pelo autor. Ela aprendeu a lidar com o "obstáculo" que a vida deu. Uma personagem fantástica com todos os sentimentos que alguém real teria. Ela tenta de todas as formas "esconder" dos outros que é deficiente - não por vergonha, mas por confiança de mostrar que ela é como qualquer um - e por isso acabou criando várias técnicas com o irmão pra isso. Benjamin é uma criança fora do normal - de uma forma boa. Ele é simplesmente o braço direito da irmã e com a sua inocência e inteligência traz um gosto de amor que o livro precisa. Ele tem 7 anos, mas em muitas partes da leitura você se impressiona com a maturidade que existe nele.

ENEI

O autor conseguiu colocar o mistério no livro na medida certa pro público alvo da leitura. O fim não teve o desenvolvimento que eu esperava. Parece que o final ficou corrido demais e no meu ponto de vista precisava ser melhor trabalhado A narrativa foi bem fluída - apesar de ter bastante matemática envolvida nas partes em que mostram as "páginas do caderno do pai" (veja abaixo),  só o fim que não me surpreendeu.

ENEI

O livro num todo é muito bom, uma leitura que nos faz refletir sobre amor, confiança e superar dificuldades.


"Acontece que nunca se sabe o que é ou não verdade, o que pode ou não ser impossível, até que se faça uma tentativa."

9 comentários:

  1. Oi, Aninha! Tudo bem?
    Que fotos maravilhosas, amei! <3 Assim como eu tinha comentado com você, eu acho essa capa tããão linda, e assim que vi a diagramação pelas fotos já fiquei apaixonado :) Já li um livro deste formato mesmo, onde a protagonista é cega, e tipo, eu adorei, gostei de saber que é em primeira pessoa pois iremos sentir todos os sentimentos da Laureth, e isso é muito bommm! Gostei da sua resenha sobre, e estou aqui morrendo de amores por esta obra agora! HUAHUAHAUUA
    Carpe diem,
    http://www.entreutopias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia mesmo! É um livro muito bom em relação ao ponto de vista de uma deficiente e a capa definitivamente é linda!

      Excluir
  2. Tem autor que tenta trabalhar com uma estória ótima, mas acaba não sabendo desenvolver o mesmo. Gostei muito da parte do autor não fazer da Laureth uma acomodada e de ter desenvolvido bem o personagem, pois o que é de uma história onde o personagem não tem seus próprios pensamentos e são mal construídos? Também adoro livros feitos em primeira pessoa, então estou anotando esse livro na minha listinha de desejados.

    Karine || Ainda Me Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... ele não soube desenvolver o final, mas a gente sempre acaba esbarrando com leituras assim né? Haha

      Excluir
  3. Gente, fiquei encantada com essa história! E essa narrativa deve ser maravilhosa cara, ver tudo do ponto de vista de uma deficiente visual, fiquei muito curiosa. Deve ser uma leitura muito gostosa e diferente... Eu definitivamente quero ler esse livro hahahaha. Fiquei doida para ver como é <3.

    Beijos!
    Clareando Ideias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas a Laureth é tão "independente" que eu no início da leitura esqueci completamente que ela era cega.

      Excluir
  4. Olá! Primeira vez que ouço falar desse livro e confesso que achei interessante. Sua resenha me fez ficar um pouco instigada sobre ele e até me deu uma vontade de conhecê-lo melhor. Acho que darei uma procurada. Obrigada pela dica!
    Beijos

    http://sonhandoatravesdepalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá! eu quero MUITO esse livro <3 eu conheci ele através de uma resenha no youtube e me encantei pela historia. Achei a proposta muito diferente, nunca tinha visto uma personagem principal que fosse cega, a garota pelo o que você disse ela parece ser bastante determinada, eu adoro personagens que são assim! Fui comprar ele no submarino mas tava esgotado </3
    xoxo
    http://saboreandoasestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©