26.7.16

Resenha | O Pintor de Memórias

26.7.16
O Pintor de Memórias
Recebido em parceria com o Grupo Editorial Record

Imagine que todos os seus sonhos, na verdade, são vidas passadas suas. E que ninguém além de você compreende isso. Difícil né? 

O Pintor de Memórias conta a história de Bryan Pierce e Linz Jacobs. Ele é um pintor que vive enclausurado pelo histórico que seus sonhos o trouxeram. Quando criança, passou por diversos hospitais psiquiátricos, mas nenhum deles encontrava uma resposta para a situação em que o menino vivia. 

Em seu estúdio, ele revive as memórias e as transforma em quadros magníficos. Essas memórias atribuem talentos à sua vida atual, alguns exemplos disso são a própria pintura, ser um exímio jogador de xadrez e conseguir falar inúmeras línguas.

Linz é uma neurogeneticista que trabalha em decifrar os genes que ajudam o cérebro humano a criar memórias.

 "Gosto de palavras. É o que chamamos de 'comunicação." - p. 121

No dia em que visita uma galeria de arte, ela vê um quadro que retrata o único pesadelo que a atormentou durante toda sua infância. E com isso, ela se vê curiosa atrás do artista que o pintou. Você consegue imaginar quem ele seja, certo?

Quando Bryan encontra Linz o seu mais intenso sonho acontece e ele revive as memórias de Michael – líder de uma equipe de cientistas que procurava a cura para o Alzheimer.


O Pintor de Memórias
Desde o início da leitura você nota que existe uma ligação muito forte e intrigante entre nossos personagens. E com isso, se vê extremamente conectado a história e quer entender onde todas essas memórias vão dar. 

A narrativa do livro é feita na primeira pessoa e intercala as vozes de Bryan e Linz. Fora os flashbacks que são as memórias de Bryan, elas passam por várias épocas e continentes. Algumas eram bem chatas de serem lidas, confesso. Desses sonhos, os que eu mais tinha interesse eram da vida de Michael. Com a qual Bryan é extremamente ligado. 

"O mundo ainda não está preparado para o que descobrimos." - p. 191

O Pintor de Memórias
O Pintor de Memórias
Pode parecer confuso já que são várias vidas, mas a escrita da autora me prendeu sim. O início da leitura foi um pouco lento, mas depois consegui o ritmo. As reviravoltas são bem interessantes e os personagens principais são bem trabalhados. Não posso dizer o mesmo em relação aos secundários, mas ok. O relacionamento de linz e Bryan poderia ter sido melhor trabalhado. 

O meu grande problema foi com a finalização, não que ela tenha sido corrida, mas parece que não foi uma história realmente encerrada sabe? Me deixou extremamente agoniada em saber se iria existir uma continuação, mas até onde eu entendi, não. E aí eu pude me perguntar: Tá, mas e o resto? 

Enfim, mesmo assim recomendo a leitura. Ela tem fantasia, uma espécie de viagem no tempo e o fato de sonhos serem uma forma de reviver memórias me interessou bastante. 


"A vingança não se curva à passagem do tempo." - p. 256


5 comentários:

  1. Parece ser bem intrigante, com suspense na medida certa :) Fiquei interessada no livro depois da sua resenha!
    Beijos,
    www.setevidasfelinas.com.br

    ResponderExcluir
  2. No mínimo um enredo interessante e diferente. Não conhecia o livro, e foi uma pena perceber que o enredo não finalizou de uma forma que tenha te deixado satisfeita.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Menina teu blog é lindo e já to seguindo, que amorzinho ele é, adorei realmente, as fotos saíram linda e que livro legal foi esse, acho que mesmo tendo algumas coisas que eu não gosto seria uma leitura interessante, pelo contexto em si, então acho que vou dar uma chance.
    Parabéns pela resenha ficou ótima, e novamente, que lindas fotos, aquelas folhas são de dicionários não é? Eu uso as do meu velho livro de Harry Potter, deu um dó tirar elas, mas já estava velhinho.
    http://kammyriquelme.blogspot.com.br/
    Xoxo

    ResponderExcluir
  4. As folhas são páginas de um livro antigo meu hehe

    ResponderExcluir
  5. Oie Ana!
    Acho que é a primeira vez que visito seu blog e achei ele bem lindinho e organizado, parabéns <3
    Olha, achei o livro um pouco perdido. Não sei se perdido é a palavra certa ou se eu fiquei perdida no meio da história... Eu acho que leria só pra me achar no meio de tudo isso, mas já tenho certeza que vou acabar me decepcionando com o final T_T
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©