12.12.16

Resenha | Deuses & Monstros

12.12.16
Recebido em parceria com Galera Record

Ari Selkirk se sente extremamente solitária. Fisicamente, ela é muito diferente, tem olhos azul esverdeados e os cabelos são prateados e por isso ela tem muita dificuldade de criar laços. Ela foi criada em diversos lares adotivos (bem ruins, por sinal), até chegar na casa dos Sandersons. Eles apoiam muito a menina na busca pelos pais e é isso que ela foi fazer. Ah, e os pais adotivos de Ari a ensinaram a se virar muito bem – em qualquer situação. O que é muito útil pra ela na história.


Ari vai até Rocquemore House – uma espécie de hospital – e ela descobre que sua mãe a deixou em custódia do Serviço social antes de se suicidar e claro, deixou uma caixa cheia de coisas que em teoria deveriam ajudar Ari.



A menina acaba tendo que ir até Nova 2 – que é Nova Orleans depois dos furacões. A cidade não pertence mais aos Estados Unidos – o governo não pôde reerguê-la - e sim a nove famílias mais poderosas e antigas. As coisas em Nova 2 são bem diferentes, diferentes como Ari. O problema é que ela havia combinado com seus pais adotivos que não iria até lá sozinha. Lá a garota conhece Henri, Sebastian, Violet, Dub e Crank que são como ela.

Bom, a história é bem interessante e começa da melhor forma possível, mas depois que a garota entra em Nova 2 a narrativa em primeira pessoa fica um pouco corrida e com muitas pontas soltas. Tudo bem que esse é o primeiro livro de uma trilogia, mas a autora poderia ter desenvolvido melhor os personagens que são apresentados ao leitor. A escrita é boa e os personagens são em sua maioria cativantes, mas quando a leitura foi se encerrando achei um tanto forçado


Não sei se continuarei lendo o resto da trilogia, quem sabe né?







2 comentários:

  1. Helloo, Xará de segundo nome! Tudo numa nice?!
    Eu estava bastante curiosa por esse livro devido a sinopse e em grande parte pela capa - que achei cool e bonita. Bem, como você eu não achei ruim o livro, mas enxerguei muitos problemas na estória como por exemplo: toda luta que Ari se metia ela parecia sempre vencer; um romance super instalove com o Bastian que também não me convenceu; aquela amizade de eu luto por você insta também com pessoas que ela nem conhecia; como ela pode pensar em ir para Nova 2 assim do nada com quem não conhece?; há muitas coisas no livro que não me soaram críveis além de que os pais adotivos da garota pareciam estar ali apenas para dizer que ela morava com alguém porque seus papéis são simplesmente menos que figurantes e tudo parece ser propício demais para a protagonista como se as coisas caíssem de bandeja no colo dela. Eu encontrei um monte de coisa incoerente na estória, e dei uma nota parecida com a sua. Mas achei que o ritmo do livro era bom, a escrita da autora foi ágil e eu bem que me lembrei muito de The Originals ahah *-* por causa do cenário. Outra coisa é que não consegui sentir empatia pela protagonista e nem por nenhum outro personagem porque não achei que o psicológico deles foi tão bem trabalhado. Enfim, na minha humilde opinião a estória simplesmente pareceu mal trabalhada.
    Beijin...
    http://piecesofalanagabriela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que pena que a história fica um pouco corrida. Eu não tenho muito interesse no livro por achar que a proposta dele parece MUITO com a da série Feita de Fumaça e Osso, até a capa, com a máscara e tal, é meio parecida. Mas quem sabe no futuro...

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©