24.3.17

Resenha | Eu Estive Aqui

24.3.17

Eu Estive Aqui fala de um assunto pesado, que ainda tem muitas questões não resolvidas. E a leitura tem alguns gatilhos.

Meg Garcia é a melhor amiga de Cody. Meg Garcia é encontrada morta num hotel. Meg Garcia se suicidou tomando veneno.

Cody recebe um email da amiga – que estava programado – dizendo que precisou dar fim à própria vida e que essa decisão era dela e de mais ninguém.

Cody perde a sua outra metade. 
 
"Você nunca conhece as pessoas de verdade, não é?" - p. 76

Esse é o nosso enredo principal, em Eu Estive Aqui vemos uma melhor amiga – Cody – lidando com o luto do suicídio de Meg.




"É assim que funciona com as mentiras? A primeira é difícil, a segunda é mais fácil, até que saem da sua boca com mais facilidade do que as verdades - talvez porque sejam mais fáceis do que elas." - p. 81

Os pais de Meg pedem pra Cody – que trabalha fazendo faxinas, já que não tem condições de sair da pequena cidade em que moram – ir até Tacoma, onde Megan fazia faculdade para buscar coisas que estavam no quarto da garota. Cody vai até lá por consideração aos García que sempre a ajudaram e basicamente “a criaram” como ela mesma pensa, já que Tricia, sua mãe é meio distante.


Chegando em Tacoma, Cody conhece alguns colegas de Meg, como Richard, Harry, Alice e outros. Lá ela também descobre coisas que nunca tinha imaginado de sua amiga, principalmente porque Meg nunca as mencionou. Isso cria uma “paranoia” em Cody. Como elas eram tão amigas e Cody não sabia nada de Megan? Por que Meg nunca falou do que estava sentindo, ou pediu ajuda a ela? 
 
"Sentir seus próprios sentimentos é um ato de bravura." -p. 93
 
Além dessas descobertas, Cody acaba ganhando o computador de Meg, o que ela encontra lá é um arquivo criptografado, ou seja, quem fez isso queria esconder algo e Cody cria uma missão para si de descobrir o que tem ali. Por que o que ela mais precisa são respostas.


As perguntas que Cody cria na narrativa na primeira pessoa são naturais. Por que ela fez isso, por que não pediu ajuda, quando isso começou. E a reação da garota também é natural, achar que tem culpa sobre a morte de Meg. E é isso que move toda a história, o peso que Cody sente. Fora que com as coisas que ela descobre, seria bem fácil começar a desconfiar de tudo que aconteceu. 

 
Somos apresentados a Ben McCallister e confesso que apesar de ter gostado muito da caracterização do personagem, acho que ele foi pouco trabalhado e finalizado de forma muito abrupta. Também existe uma problemática secundária envolvendo Cody que me deixou decepcionada. Poderia ter um desfecho melhor trabalhado. Agora, a trama principal tem uma conclusão bem aceitável e realista. Fiquei com medo da Gayle ir pra um caminho onde a história se tornaria algo bem diferente.
 

"Todo mundo tem seus dias ruins." - p. 169

Apesar de ser um tema forte, já que tudo gira em torno de um suicídio, foi difícil sentir algo em relação aos personagens porque eu não acho que a autora tenha trabalhado essa parte “sentimental” do livro a fundo de verdade. No entanto, a leitura foi rápida e apesar dos problemas que citei me senti presa a trama. Queria saber o que aconteceria no próximo capítulo.

Esse livro já tem um tempo de lançamento, então, se você leu, o que achou?

 Compre aqui

"É curioso como, quando começa a fingir, você percebe quanto todo mundo está fingindo também." - p. 97 


12 comentários:

  1. Olá, eu tenho uma vontade enorme de ler os livros dessa autora, esse em especial traz uma temática bem interessante. Quantas vezes descobrimos que não conhecemos realmente aquelas pessoas que achávamos que conhecíamos bem, né?!

    ResponderExcluir
  2. Depois de abandonar Se eu ficar, estava com medo de me decepcionar com essa leitura também. Isso foi bom, porque como minhas expectativas estavam lá embaixo, acabei me surpreendendo. Marquei MUITAS frases do livro e concordo que o Ben não foi muito bem construído, além disso o rumo que a trama tomou também não foi das melhores... a atitude de Cody foi impensada, até meio sem noção. Mas super valeu a reflexão causada pela leitura!

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eua ainda não li nada da autora e mesmo que falte trabalhar a parte de personagens sentimentos e coisa e tal, a trama parece instigante. Amei a capa! rs

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Menina que resenha maravilhosa parabéns.
    Eu estou louca para ler esse livro. Primeiro porque já conheço e amo o trabalho dessa autora e segundo porque a premissa desse livro é bem intensa e interessante. Ter que lidar com o suicidio da melhor amiga realmente deve ser barra.
    Dica anotada. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, tudo bom?
    Minha primeira experiência com essa autora não foi das melhores. Então os livros dela não me interessam muito. Mas quem sabe mais para frente não dê uma chance né? Parabéns pela resenha, pena que tenha algumas falhas.

    Beijos, Rob
    www.estantedarob.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olha, suicídio é bem complicado para quem está vivo, para quem conhece a pessoa, pois acaba mexendo com várias coisas, principalmente essa questão da ‘ajuda’, de tentar ‘salvar o outro’. Há uma mistificação cristã em torno disso bem complicada. Eu conheço o livro e apesar de gostar de ler sobre suicídio, no geral, a escrita da autora não desperta minha atenção.

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana, tudo bem?

    Eu estive aqui é um grande livro, lembro de ter lido logo no início do meu blog e foi meu primeiro contato com a Gayle Forman. O tema é forte, suicídio e assim como você apesar dos personagens, me senti preso nessa trama!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oiii Ana, tudo bem?
    Eu tenho esse livro também, ganhei uma amiga e por enquanto está parado na estante, sua resenha só me convenceu que devo ler antes do que nunca, adoro a escrita da Gayle.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. É bom ler algo, esperar uma coisa e ela ser bem dentro do que esperávamos, uma pena ela ter desandado em alguns personagens =/ eu era curiosa em ler, mas com o tempo desanimei.

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Ainda não li nada de Gayle, mas já ouvi vários elogios.
    Uma pena que não teve essa conexão com os personagens e que alguns pontos não foram tão desenvolvidos quanto você esperava.
    A premissa é bem interessante e fiquei intrigada para saber o que realmente motivou Meg a cometer tal ação e o que Cody irá descobrir com essa viagem.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana, já havia lido algumas resenhas sobre Eu Estive Aqui.. E eu estou me vendo cada vez mais estimulada para saber o que de fato aconteceu com Meg, por que tudo isso aconteceu. É uma boa pedida no momento!
    Beijos.
    Meu Livro Fantástico | Facebook

    ResponderExcluir
  12. então... eu li outro livro da autora, mas achei a história tão mal construída que desisti de tentar outra coisa dela..
    uma aluna minha leu Eu estive aqui, mas não rolou comigo...=/
    dessa vez passo a dica...
    bjs...

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©