10.7.17

Resenha | Inventei Você?

10.7.17

Inventei Você? Traz a história de Alex que está indo para o último ano do Ensino Médio em uma nova escola depois de um incidente envolvendo tinta spray, um ginásio e comunismo. Ela luta todo momento tentando distinguir o que é real ou não pois vive em guerra com sua esquizofrenia. Alex tem como suas aliadas a irmã mais nova Charlie, uma bola 8 mágica e sua câmera fotográfica tentando simplesmente conseguir entrar em uma faculdade.

"Todo mundo é interessante se a gente prestar atenção por tempo suficiente." - p. 58

Por incrível que pareça ela sentia que tudo daria certo até encontrar Miles. Quando pequena em uma situação em um mercado com um tanque de lagostas ela conheceu Olhos Azuis, mas nunca descobriu se ele existia de verdade ou se era mais uma alucinação. Mas adivinha? Miles é muito parecido com o garoto que ela encontrou naquele dia. 

"Estou aprendendo a não mudar, porque, com toda a sinceridade, eu gosto do jeito que sou. Não do que faço, mas de quem eu sou." - p. 337


 



"As pessoas se comunicam surpreendentemente bem quando estão com medo, só não comunicam as coisas certas." - p. 146

Inventei Você? nos traz uma narrativa na primeira pessoa pela voz de Alex e considerando a esquizofrenia, ela não é muito confiável. Assim como ela, você acaba questionando se as situações são reais, mas ela tem um humor sarcástico que faz a leitura fluir muito rapidamente. Alex enfrenta bem a situação na medida do possível. Ela é uma personagem muito cativante, foi interessante ver uma menina com esquizofrenia passando pelas fases da adolescência e tentando ser normal (mas sem estar preparada pra isso).

"Negar que você é louco tende a fazer as pessoas pensarem que você é mais louco." - p. 182

Miles é um personagem muito peculiar. Ele tem uma outra dificuldade “psíquica”, mas isso aí vocês vão descobrir sozinhos. E isso o torna um tipo de bad guy nerd na escola já que ele é MUITO inteligente. Na escola ele é meio perseguido por ser alemão (ele é o “nazista”), mas não no nível bullying e sim no nível “esse cara é um imbecil”. Mas ao longo da história o leitor descobre mais sobre a sua vida e ele se torna alguém muito identificável.



"Não, você não é umas pessoas má [...] Somos apenas pessoas, e as pessoas às vezes fazem coisas idiotas." - p. 252

Temos também o clube do serviço comunitário (Alex faz parte devido ao incidente na outra escola) , os trigêmeos Ian, Evan e a Theo. E também temos Jetta. Já de outros personagens secundários fora do clube temos Tucker que poderia ter aparecido mais porque ele é um bom personagem. E claro, temos aquela garota popular da escola, Celia.

"Você não está proibida de pedir ajuda." - p. 311

O livro aborda alguns problemas psicológicos de uma forma interessante e mostra nossos personagens convivendo, mas tentando superá-los. Ele tem várias reviravoltas que eu realmente não esperava, fiquei positivamente surpresa em como a autora conduziu a história criando esses plots. Recomendo muito essa leitura, é fluída e nada confiável.


"Sobreviver significa ter o pior jogado na sua cara e, ainda assim, ser capaz de seguir em frente. Significa se esforçar pelo que você mais quer, mesmo quando parece fora do seu alcance, mesmo quando tudo está trabalhando contra você. E aí, depois de ter sobrevivido, você supera. E você vive." - p. 335


Venha tentar descobrir o que é real ou não com Alex.


http://amzn.to/2ubcBIm
Saraiva

5 comentários:

  1. Confesso que o que chamou minha atenção foi essa capa hahahaha
    E olhando para ela (e a sinopse) pensei que fosse um livro parado, sabe?
    Mas lendo sua resenha senti que há várias reviravoltas mesmo e fiquei com vontade de ler <3

    ResponderExcluir
  2. Hey, Ana!

    Eu já não tenho mais ânimo pra ler YA, não. Principalmente esses que viraram moda, que sempre tem alguém com câncer/TDAH/TOC e tantas outras doenças. Já li tantos, que acabei ficando bem enjoada. Tô dando um tempo nesse gênero. Então, por ora, vou deixar a dica passar. :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Parece ser um livro bem interessante, até porque nos traz uma personagem diferente, mas confesso que não sei se leria no momento. A capa acho linda, e bem chamativa. Ótima resenha e excelentes quotes <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Essa história me chama a atenção por ter uma protagonista que tem esquizofrenia, acho o tema bastante diferente e fico curiosa para saber o desenrolar da história.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana!
    To com esse livro na estante, eu só sabia sobre a esquizofrenia!
    fiquei bem tentada a ler, parece ser muito bom!
    Bjus

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©