11.9.17

Resenha | Comportamento Altamente Ilógico

11.9.17
Recebido em parceria com a editora rocco

SolomonSolReed tem 16 anos, e depois de um ataque de pânico na fonte da escola, ele decide não sair mais de casa. Então, desde os 13 anos ele fica sempre – tipo sempre – em sua casa jogando, assistindo Star Trek e lendo. Até estudar a distância (online) ele faz. Lisa Praytor é uma garota da escola onde Sol teve o episódio de pânico e desde que ela o viu tirar as roupas numa fonte de água, pensou que poderia ajudá-lo. Três anos depois do incidente, perto de se formar no ensino médio, Lisa quer entrar na segunda melhor faculdade de Psicologia do país – como forma de escapar da cidade onde vive – e pra isso tem que escrever uma redação sobre sua experiência pessoal com doenças mentais. E Sol vai ser sua experiência. 

Lisa identifica que Solomon tem agorafobia – medo de praticamente tudo – e claro que ela não faz isso sozinha. Chama seu adorável namorado Clark junto.

"[...] Existia um monte de pessoas no mundo arrependidas de não terem feito o que achavam certo por medo de parecerem estranhas ou malucas." - p. 36


Os três criam um vínculo muito bonito, os muros que Sol tinha ao seu redor começam a cair, o problema é que em determinado momento, a amizade entre os três também pode cair. 

Comportamento Altamente ilógico é uma leitura bem rápida – fiz em 1 dia – a narrativa é na terceira pessoa intercalando os pontos de vista de Solomon e Lisa, gostaria que tivessem colocado o Clark também, já que ele foi meu personagem favorito na leitura. Muitos autores tem utilizado a escrita pra trazer a tona algumas doenças mentais – que são tabu nessa sociedade preconceituosa que vivemos – John Corey Whaley fez um ótimo trabalho. Ele foi muito realista com a situação de Sol, ele poderia facilmente ter tornado a coisa mega fantasiosa, dando uma solução simples para a agorafobia, mas não foi isso que aconteceu.

"Não importa o quanto você se esconda, o mundo te encontra e te dá motivos para sair das sombras." - p. 106

Na história vemos Sol, um garoto que está confortável com sua vida dentro de casa. Acho que isso foi mais fácil porque os pais de Solomon o aceitavam. Ele gosta de ficar em casa sendo um nerd, claro que ele sente falta de alguns elementos do lado de fora – vocês vão ver como uma piscina faz toda diferença – e obviamente os melhores amigos de um garoto de 16 anos não deveriam ser somente seus pais. Mas essa é a vida dele, e ele não se sente mal nela. Claro que isso não significa que ele não possa melhorá-la. 




 "Afinal, não tem um primeiro amor que desapareça do dia para a noite - muito menos um que está sempre perto dos seus olhos, mas longe do seu alcance." - p. 205

Quando Lisa e Clark aparecem as coisas mudam bastante. Sol percebe que existem limites que ele consegue sim enfrentar, e ele tenta. Principalmente quando Clark se mostra tão nerd quanto ele. Os três tem uma amizade que faz Sol se superar, e se descobrir como ser humano. Aspectos que ele nunca tinha pensado tornar público já que nunca iria sair de casa. 


A história tem “problemáticas” envolvendo sexualidade, o que é ser normal, estar confortável na própria pele e onde se vive e até onde eu posso ir pra conquistar o que eu quero? Mesmo que no processo eu ajude alguém. Quais são as nossas intenções ao ver alguém com uma doença?


Foi uma leitura muito gostosa, em diversos pontos divertida e cheia de referências a Star Trek. Acho que o autor fez um ótimo trabalho criando esse livro. Nós precisamos falar de doenças mentais, nós precisamos saber como ajudar alguém nessas condições. É um livro leve apesar da temática e com certeza uma leitura que todos deveriam fazer. 


"Não é muito difícil desaparecer quando não existe ninguém procurando por você. É o que fazemos, às vezes. Deixamos as pessoas desaparecerem." - p. 245





15 comentários:

  1. adorei sua resenha desse livro, pq eu tbm acho q as doenças mentais poderiam ser mais abordadas na sociedade

    ResponderExcluir
  2. Adorei essa resenha! Eu amo livros com temáticas jovens que abordam assuntos sérios! Anotei a dica. bjs <3

    ResponderExcluir
  3. Ola,
    Tudo?
    Então primeiro parabéns pela resenha não conhecia esse livro. Infelizmente não sou muito fã de histórias assim mas conheço uma pessoa que adora e vou anotar sua dica para passar para ela com certeza. Fiquei feliz ao saber que o autor conseguiu tratar um tema tão importante de uma maneira bem apropriada.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro, e é verdade que é um assunto pouco explorado. Outra coisa que gostei, foi a narrativa sendo dividida pelos personagens.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Oi!!
    Eu não gosto muito de livros que tratam de doenças, mas esse chamou a minha atenção pelo tema tratado.
    Ontem estavamos conversando sobre a questão de disturbios de panico e ansiedade que hoje em dia é muito comum entre as pessoas e é preciso procurar ajuda sempre.
    Vou anotar o nome do livro, pois quero ler.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Olá Ana, tudo bem?
    Ainda não li esse livro, mas já li coisas muitas positivas sobre ele e tenho muita curiosidade. Acho que o autor soube trabalhar a história muito bem, principalmente, com relação à amizade dos personagens. Também fiquei intrigada para saber como o autor trabalhou essas problemáticas.
    Dica anotada, sem dúvida.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu estava curiosa para ler esse livro, mas com receio devido à temática. Eu estou procurando leituras mais leves e tive medo de que este livro, por tratar de doenças mentais, fosse uma leitura triste. Assim, sua resenha me deixou ainda mais animada para ler.
    Os personagens parecem ser muito cativantes e acredito que este seja um daqueles livros que nos encantam e, ao mesmo tempo, nos fazem refletir.
    Adorei ler sua resenha e espero conseguir ler este livro em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Ana Gabriela, achei a história bem diferente de tudo que já vi.
    Me interessei muito por tratar de algo real e de maneira real, é triste quando o autor se vale da fantasia para tentar deixar algo mais bonitinho.

    ResponderExcluir
  9. pronto, mais um livro para minha wishlist de leituras! <3

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia a obra e achei bem interessante. Adoro leituras rápidas e evolventes.
    A temática também muito me agrada. Sou bastante curiosa sobre esses assuntos.
    Adorei sua resenha e vou anotar a dica com certeza!

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  11. Oii, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e devo dizer que a sua resenha e a premissa do livro realmente chamaram a minha atenção. Eu gosto muito de historias que exploram o comportamento humano ou o que a sociedade considera como tabu, eu acredito que eles devam ser explorados e as pessoas precisam conhecer mais sobre eles. Com certeza o livro está na minha listinha de desejados.

    ResponderExcluir
  12. Oie
    uau já quero para ontem. Apesar de eu não ter curtido muito a capa, o gênero cham muito a minha atenção e espero poder ler em breve, adorei o tema

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  13. gosto muito de livros com essa temática de doenças mentais, e gostei muito da sua resenha, vou ler quando tiver a oportunidade :)

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Não conhecia a obra, mas adorei ter essa oportunidade e fiquei bem intrigada para saber quais serão os resultados dos estudos de Lisa e Clark em relação à Sol e como essa bela amizade vai surgindo entre eles, além é claro de saber como ela pode ser afetada de acordo com os acontecimentos.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Adorei o livro.
    Não conhecia e adorei ler a sua resenha.
    A capa está linda também, e acho que seria uma história que me conectaria muito fácil.
    Ótima dica.
    Beijos

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©