11.11.17

Resenha | Matem o Presidente

11.11.17
Prova recebida para leitura antecipada do Grupo Editorial Record 

Antes da resenha, queria deixar claro que essa NÃO é a versão finalizada do livro. A editora me mandou uma prova pra leitura antecipada. Na Amazon o livro está para ser publicado dia 13/11 e está na pré venda. Acompanhem o Instagram do Bela Psicose porque quando a edição finalizada chegar vou mostrar por lá e atualizo as fotos dessa resenha. Bjo! 

"A vigésima Quinta emenda está fora de cogitação para nós. Não por razões que alguém pudesse defender, não por cauda de servidores do Estado com uma visão diferente do que pode ser melhor para a segurança do país, mas por causa dr políticos pensando no que é melhor para suas carreiras." - p. 77

Uma prova de livro chegou aqui em casa esses dias e não poderia ser um livro mais indicado pra mim. Conspiração, assassinato e o presidente dos Estados Unidos. Imaginem minha cara, quando eu vi Matem o Presidente dentro do pacote enviado pelo Grupo Editorial Record, sendo que uns dias antes eu tava vendo um vídeo sobre a conspiração na morte do JFK. Pois é, já dei início a leitura e trago a resenha pra vocês. 


O livro apresenta – claro! – uma situação governamental hipotética dos Estados Unidos. Os eleitores norte americanos elegeram um presidente maluco, violento, totalmente instável e completamente despreparado para o cargo – TUDO ISSO HIPOTÉTICO HEIN? Qualquer semelhança com a realidade é só coincidência.  E aí, em um dia comum na Casa Branca, o Presidente convoca a sua equipe exigindo que ele seja colocado em contato com o Pentágono porque ele quer ordenar um ataque nuclear contra a Coréia do Norte – motivado por uma declaração que desagradou o rei do univ... opa, o Presidente.

"Para o bem do país, tem que parecer que não tem nada a ver com a gente. Tem que ser um ato público, cometido por um estranho qualquer. Lee Harvey Oswald (principal suspeito do assassinato de Kennedy)." - p. 91



"Se o motivo para se opor a ele (o presidente) era o fato de ele estar acabando com a democracia, como justificar seu afastamento pelo mais antidemocrático dos meios: o assassinato? Seria destruir a democracia para salvá-la. Pura loucura." - p. 184

Só que o Chefe do Departamento, Bob Kassian consegue enxergar que seu chefe é maluco e consegue impedir o Armageddon. Quase todas as crises ocasionadas pelo Presidente são apagadas por Kassian, ele sempre esperou a ligação dizendo que o cara queria destruir uma parte do mundo, mas quando isso vira realidade, uma bandeira vermelha indica que é hora de pará-lo. E Kassian vai ter que fazer isso sozinho, já que o Estrategista do Presidente McNamara é tão insano quanto o Chefe.

O plano de Kassian? Assassinar o Presidente. 

"Um único escândalo podia acabar com um bom presidente, mas mil escândalos davam imunidade a um mal presidente. Quanto pior era seu comportamento, mais ele podia agir impunemente." - p. 311

O livro tem alguns personagens, Kassian, McNamara, um colega de Kassian que é Agente do Serviço Secreto, Jim Bruton, o próprio Presidente, mas quem mais vemos é Maggie Costello, ela trabalhava como administradora para o antigo Presidente e eles tinham uma relação muito amigável e de confiança. Ela se sentia bem no cargo, acabou continuando na Casa Branca por um pedido do mesmo. “Uma pessoa boa lá dentro pode fazer a diferença.” McNamara pede para ela investigar o suposto suicídio do médico do presidente, Dr. Frankel, mas ela acaba descobrindo muito mais que isso. Ela encontra uma teia deracistas, supremacistas brancos e homofóbicos que trabalham para o Presidente e pior, concordam com a vontade de uma América de homens brancos e adultos.

A história te prende do início ao fim, com uma narrativa em primeira pessoa – em alguns momentos, terceira – que se divide entre os principais personagens: Kassian e Maggie, destacando principalmente a segunda. Vemos um desenvolvimento da personagem, que passa por muita coisa por se meter no “mundo de homens”. 

McNamara se destaca negativamente com um dos monólogos mais repugnante que eu já li na minha vida. Ele é um personagem que no livro tem a função de dizer coisas que, infelizmente, são verdades – principalmente nos Estados Unidos – e que NINGUÉM – Norte-americano ou não – gostaria de ouvir. Ele é asqueroso. Sério. 

"O presidente é todo homem na América sem filtro. E foi por isso que votaram nele. Porque é assim que seriam, se pudessem. Ele ganha bilhões, não paga impostos, nunca paga as contas, larga a mulher quando ela começa a ficar só um pouquinho caída e casa com uma modelo mais nova... literalmente! Insulta todo mundo que se põe no seu caminho, diz o que bem entende e só fica mais rico e mais poderoso. [...] Tudo o que ele quer, ele tem." - p. 320 - 321 (Monólogo do McNamara) 



A leitura decorreu bem, com uma ressalva apenas para o início que pode parecer confuso – já que você ainda não tem conhecimento de todos os personagens -, mas continuem a leitura pois vale a pena. 

"– Mas não faz o menor sentido. Você viu tudo aquilo no Facebook. As cartas doidas. Ele era um verdadeiro latino, furioso com as deportações. Não tinha nada de muçulmano. – Talvez não, pelo que foi revelado até agora. Mas você sabe como funciona o noticiário. É apenas a primeira onda. Mais informações virão a tona da noite para o dia. – McNamara dá um sorrisinho." - p. 327

Sam Bourne conseguiu passar a história inteira sem citar o nome do Presidente, deixando para a imaginação do leitor, quem ele é. Oi Trump. Uma escrita ágil, muito inteligente e com reviravoltas que eu realmente não esperava, principalmente a da última cena do livro. O autor fez uma crítica corajosa a política estadunidense, armando uma história em que o alvo é o Presidente dos Estados Unidos. Em um assassinato. Orquestrado por pessoas que estão dentro da Casa Branca. Mas claro que isso nunca aconteceu né? Hipotético. Aqui colocou-se em jogo a moral, ética e o teste de limites quando se envolve proteger o Tio Sam e a sua democracia – ou a falta/ilusão dessa. 

Um livro incrível, mas que provavelmente não é pra todo mundo. A minha dica é: tente ler.

"As pessoas acreditam em qualquer coisa. Desde que estejam presentes duas condições. Primeiro elas precisam querer acreditar. Segundo, tem que aparecer no Facebook." - p. 328




21 comentários:

  1. Definitivamente, esse não é um livro que eu leria. Não sou muito fã desse tipo de livro, porém, sua resenha ficou muito boa e muito completa, acho que para os amantes de livro assim, é uma pedida certa.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana!
    Eu tinha visto esse livro em alguns lugares mas não imaginava a crítica enorme que ele carrega, simplesmente adorei a resenha e com certeza darei uma chance ao livro.

    Continue com ótimas leituras!

    Ritchelly - Conta-se um livro

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Que chique ler uma prova antecipada de um livro, hahaha, deve ser show. Adorei tua resenha e fiquei bem curiosa para ler a obra!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bem?
    Realmente me parece ser um livro bem realista com tudo que vemos nos jornais, fiquei curiosa para saber como ira ser esse desfecho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oii Ana tudo bem?
    Que demais menina, eu sempre procuro pesquisar sobre esses assuntos na internet e sempre me fascino, por enquanto irei esperar a sua resenha completa e com toda certeza adoraria ler, ainda mais diante de conspirações que tem.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha e a premissa do livro. Achei bem diferente e já fiquei interessada em ler.
    seu blog é muito lindo! Parabéns, bjs

    ResponderExcluir
  7. Que legal você ter recebido a prova do livro!
    Gostei da premissa dele e fiquei muito interessada em realizar a leitura, gostei muito de ler a tua resenha.

    ResponderExcluir
  8. O título do livro me lembrou de uma música rsrs.
    Adoro a premissa do livro, apesar de nunca ter lido algo do gênero, já me deliciei com alguns filmes. Hipoteticamente falando do tal presidente, parece bem realista rsrs
    Dica anotada, espero poder em breve ler.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. 'Os eleitores norte americanos elegeram um presidente maluco, violento, totalmente instável e completamente despreparado para o cargo ' nossa, tão real kkkkkkkkkkkkkkk desculpe, mas não tem como não ligar isso ao doente do Trump. olha, a julgar tudo que li nessa resenha, preciso desse livro.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Gostei de poder conhecer mais dessa história que até então não conhecia.
    Deve ter sido uma ótima experiência ler a prova desse exemplar.
    Gosto bastante desse universo envolvendo políticas e embates interessantes.
    Quem sabe em algum momento leia também.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Olá, é meio assustador o quanto o livro tem de verdade, né?! Especialmente no perfil desse presidente. Parece ser uma obra super interessante pela sua resenha. Já fiquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  12. Oiii Ana

    Eu também andei lendo uns arquivos do caso JFK que foi liberado... ando numa vibe boa pra ler esse livro. Achei a premissa bem legal e... realista??? Parece até que o autor tem uma bola de cristal porque o lance todo de ser doidão e querer bombardear a Coréia do Norte me lembrou de alguém... Enfim, achei a história interessante e atualissima, óbvio. Com certeza vai pra lista

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Ana,
    Ainda não li esse livro, mas vi tanta gente recebendo ele que estou mega curiosa. É engraçado como a hipótese parece realidade, hein? Esse presidente me lembrou muito o Trump.
    Espero ansiosamente esse livro para comprar!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu tenho visto muitos blogueiros recebendo essa prova antecipada e estou bastante curiosa para ler.
    Não é um gênero que eu costumo ler muito, mas achei a premissa sensacional. Inclusive, já fui lendo sua resenha e imaginando que esse enredo daria um filme daqueles de tirar o fôlego.
    Sua resenha me deixou ainda mais curiosa para ler e, apesar da ressalva que você fez em relação ao início ser um pouco confuso, acho que vou amar esta leitura. Já adicionei na minha lista de desejados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Ola,
    Gostei da resenha mas infelizmente acho que esse não é o tipo de livro para mim no momento. Essas similaridades com a atual situação só me causaram mais antipatia e estou correndo um pouco disso para leituras mais leves no momentos, mas com certeza deve ser um bom livro. Quem sabe em algum outro momento.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Eu gosto de livros com críticas política-social. Esse parece ser o tipo ideal, com uma pegada bem atual. E que bom que a linguagem é ágil,com reviravoltas, pois deixa tudo mais interessante. Vou anotar a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Nossa, se eu já estava amando ler a sua resenha imagina o livro inteiro. Adorei essa crítica que o autor fez relacionada a política estadunidense e fiquei bastante curiosa para saber como será o desenrolar dessa história. Gostei logo de cara do Kassian e da Maggie haha. A sua resenha está incrível, espero conferir essa obra um dia. Bjss!

    ResponderExcluir
  18. até que gosto de leituras do gênero, e faz um bom tempo que não leio nada do tipo... anotei a recomendação... acho que dava um bom enredo de filme hehehe
    bjs...

    ResponderExcluir
  19. Olá!

    Olha, parece muito interessante, curti a premissa, parece ser uma história que mesmo ficcional, tem muito de real. Espero ler o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  20. Eu tenho essa prova aqui em casa, mas confesso que ainda não tive tempo de ler.
    Sua resenha me empolgou, vou tentar dar um jeito logo na leitura :D

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©