15.11.17

Resenha | Tartarugas​ até lá embaixo

15.11.17

Tartarugas até lá embaixo (Turtles all the way down) vai nos apresentar Aza Holmes, uma garota de 16 anos que tenta conviver com o TOC (transtorno obsessivo compulsivo). 

 TOC é um transtorno mental caracterizado pela presença de obsessões, compulsões ou ambas. As obsessões são pensamentos, impulsos ou imagens indesejáveis e involuntários, que invadem a consciência causando acentuada ansiedade ou desconforto e obrigando o indivíduo a executar rituais ou compulsões que são atos físicos ou mentais realizados em resposta às obsessões, com a intenção de afastar ameaças . (Fonte: UFRGS) 

Considerando esse problema psicológico, nossa personagem tem pensamentos obsessivos com quase tudo, por exemplo, as bactérias que fazem a digestão dos alimentos, ou com relação a uma machucado que ela possui no dedo, o que a leva a sempre trocar o band aid que usa quando entra nesse processo de pensamento em "espiral". 

"Estava começando a aprender que sua vida é uma história sobre você, mas não uma história que você conta." - p. 1






"Um dos desafios da dor - física ou mental - é que nós só conseguimos nos aproximar dela por metáfora." - p. 89

Além de vermos Aza lidar com o TOC, também acompanhamos sua missão com a melhor amiga Daisy - escritora de fanfics de Star Wars - em tentar descobrir o paradeiro do bilionário Russell Prickett que sumiu um pouco antes de ter sua prisão decretada. Existe uma recompensa de 100,000 dólares pra quem conseguir alguma pista que o localize e é isso que Aza e Daisy tentam fazer por um tempo. 


"O seu agora não é o seu para sempre. [...] Eu não estava sempre presa dentro de mim mesma, ou dentro dos meus eus. Eu não era somente louca." - p. 93



Também conhecemos o filho mais velho de Russel, Davis Prickett que já conhecia Aza da infância, mas só agora os seus caminhos se cruzam novamente. Davis tem um irmão mais novo chamado Noah, que não consegue lidar muito bem com o desaparecimento do pai. 

" – É assim  que a vida é? [Um poema curto com esquema de rima estranho] – Sim, ela rima, mas não do jeito que você espera." - p. 151

A premissa da história pode parecer simples, mas o livro carrega um grande significado. John Green aqui está relatando ao seus leitores o problema com o qual ele precisa lidar, já que ele - assim como Aza - também tem TOC.

"Você dá muito poder aos seus pensamentos, Aza. Pensamentos são só pensamentos. Eles não são você. Você pertence a si mesma, mesmo quando seus pensamentos não pertencem a você." - p. 166

A narrativa é feita na primeira pessoa pelo ponto de vista de Aza, o que nos dá uma visão da agonia que a personagem passa com os pensamentos intrusivos.

Pensamentos intrusivos são pensamentos que entram constantemente na sua mente contra a sua vontade. Eles são considerados intrusivos, porque você simplesmente não consegue afastá-los para fora da sua mente, e muitas vezes aparecem em momentos impróprios. Os pensamentos intrusivos também podem ocorrer em flashes, causando ansiedade significativa quando entram na sua mente. (Fonte: Escola Psicologia)


”[...] A vida é uma série de escolhas entre suposições." - p. 188

Esses pensamentos intrusivos tornam a vida de Aza em todos os aspectos mais difícil e nós leitores, conseguimos sentir isso na pele durante a leitura. O livro fala sobre problemas psicológicos, perdas, saudade, amizade... Enfim, uma infinidade de coisas de um jeito agradável, mas ao mesmo tempo reflexivo que John Green tem ao escrever suas histórias. Claro que em alguns momentos a personagem me dava nos nervos por ser meio egocêntrica, mas passava.

Daisy é nosso alívio cômico em boa parte da história com suas teorias sobre como um Wookie pode sim se apaixonar por uma humana aka Rey. Pois é, tem muita referência a Star Wars. 

Temos também um pouco de romance, porque se não, não seria o Tio João Verde né? Mas aqui o foco principal é retratar o TOC e os pensamentos intrusivos, o que foi um ato de coragem de Green, considerando que é algo que ele passa na sua vida. Como não amar um autor desse? 

"Talvez tenhamos inventado as metáforas como uma resposta a dor. Talvez era preciso dar forma a opaca e profunda dor que invadia todos os nossos sensos." -p. 231

Tartarugas até lá embaixo é uma história sensível sobre se perceber como alguém real apesar das circunstâncias. Leiam!

"Você escolhe seus finais, e seus começos. Você pode escolher a moldura. Talvez você não escolha o que está na foto, mas você decide a moldura." - p. 277




16 comentários:

  1. Estou finalizando a leitura e estou amando <3

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    Eu estava muito curiosa sobre essa leitura, os títulos e histórias do tio Jhon sempre nos fascinam não é?
    Amei a forma como você trabalhou a sua resenha nos apresentando a obra nos deixando com um gostinho de quero mais.
    Livro adicionado a lista de compras da black friday.
    Obrigada por compartilhar as suas impressões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. hahahahaha já fui diagnosticada com TOC há alguns anos... sobre o autor, no geral, não gosto do que li, mas esse livro me chamou atenção de alguma forma, vou me aventurar, quem sabe eu curta.

    ResponderExcluir
  4. John Green é um grande autor realmente, o único livro que li dele foi a "A culpa é das Estrelas" e "Quem é você, Alasca?", mas quero ler todos os outros. Bom, sobre o livro, realmente parece ser um livro que tem inspiração na vida do autor e amo esses temas relacionados ao TOC.

    Beijos e Até!
    Lendo Ferozmente - Papo Inverso

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana!
    Estou louca para ler esse livro, mas to sem tempo! Quero muito ver como John abordou o TOC, pois está parecendo que tá bem completo esse assunto.
    BJus

    ResponderExcluir
  6. Quero ler este livro por tratar de transtornos psicológicos e como vivi isso de perto toda leitura é bem vinda. Só pelas resenhas que leio já sinto a carga emocional contida nas páginas, então preciso mesmo ler.
    Adorei a resenha, assim como as fotos, estão lindas.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Sou seguidora do seu blog faz tempo
    E adorei a resenha, como eu estou passando por um momento literário sério de ressaca, não vou me aventurar nele por agora

    Beijos
    https://florescendolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Que resenhs maravilhosa!
    Eu to muito curiosa pra conhecer mais desss história pois adoro leituras que trazem esses temas e me parece que o Green abordou de forma brilhante.
    Não vejo a hora de ler.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Eu estou completamente doida pra ler esse livro, principalmente por causa deste transtorno da personagem, que deve deixar o livro com uma narrativa bem diferentona, né?! Adorei a resenha e as fotos!

    Beijos,
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana, tudo bem?

    Estou louca para ler este livro. Tem tantas pessoas falando dele e recomendando, que eu ainda não sei como consegui ficar sem comprá-lo. Estava pensando em comprar na Black Friday, mas decidi deixar para o começo do próximo ano.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho uma curiosidade em ler essa obra justamente pelo transtorno de Aza, mas fiquei meio com pé atrás depois que uma amiga disse que ele não é tão bom, mas ainda pretendo dar essa chance.

    ResponderExcluir
  12. Oieee
    finalizei a obra faz uns dias e ainda me pego lembrando dela, achei muito maravilhosa e me identifiquei demais com a Aza. Tuas fotos ficaram lindas, e amei a edição

    ResponderExcluir
  13. Confesso que ainda não li nada do autor, mas sempre vejo elogios a forma como ele consegue emocionar seus leitores com histórias que tocam em assuntos da realidade, muitas vezes percebidas apenas por quem vive as situações. Então acredito que quem lê os livros do autor pelo menos estará treinando sua sensibilidade em relação aos assuntos abordados.
    Não achei a capa tão convidativa 🤔😐
    Mas enfim que bom que você gostou da leitura. Beijos e sucesso nesse último mês de leitura de 2017 \o/

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  14. Oie, tudo bem?!?! Estou loucaaaaa para ler esse livro. Gosto muito das histórias do Joh Green e esse livro aborda um tema muito importante que é o transtorno mental.
    Estou encantada com sua resenha e ainda mais curiosa pelo livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá , tudo bom?
    Estou vendo várias pessoas falarem bem desse livro, estou muito ansiosa para ler ele, o preço tava excelente na black friday.
    beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  16. Olá
    Acabei de ler outra resenha sobre o livro, e achei bem legal o livro falar de TOC, cheguei a ter como consequência de um estresse pós-traumático onde desenvolvi uma necessidade de conferir portas e trancas, e mesmo assim passava o tempo todo em que deveria estar me divertindo conferindo mentalmente se fechei ou não as portas.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©