24.8.18

Resenha | Tarde Demais




❝Não dá para escutar pensamentos por um motivo.❞ - p. 51

Polêmica! Ana crítica livro de sua autora favorita.
Tarde Demais na verdade é uma releitura minha, na primeira vez que eu li, fui muito na emoção de “UHU mais um livro da CoHo”, dessa vez foi diferente e cá estou eu com a minha opinião, que definitivamente está mais crítica e problematizadora. 
Tarde Demais conta a história de Sloan, ela vive num relacionamento M.U.I.T.O abusivo com Asa, um traficante que nem deveria ser chamado de gente de tão LIXO que ele é. Ela se mantém no relacionamento porque Asa banca o tratamento que o seu irmão, Stephen faz, o qual sozinha ela nunca conseguiria pagar. Então, ela continua com ele e procura um meio de sair dessa situação. Uma luz no fim do túnel surge quando Carter aparece na sua vida a encantando na sua aula de espanhol, mas logo em seguida ela se surpreende ao descobrir que ele trabalha para Asa. Só que o que ela não sabe é que ele tem outros motivos pra estar ali e não são ruins.

Esse livro tem inúmeras falhas de escrita, e eu vou jogar a real: ele é assim porque foi escrito a fanservice. Colleen publicou esse livro no wattpad, e até então, seria só lá e nisso ela recebia feedback dos leitores, algo que não acontece nos livros que ela escreve na moita (que saem bem melhores). A autora quer passar uma mensagem sobre relacionamentos abusivos, mas o que aconteceu é que provavelmente ela tentou agradar os leitores e perdeu MUITO a mão no desenvolvimento da história, dos personagens e da situação que colocou no livro.


❝[...] O amor não é encontrado. O amor encontra.❞ - p. 137


O livro é narrado na primeira pessoa intercalando os pontos de vista de Sloan, Asa - esse é o que tem menos capítulos, graças aos céus - e Carter. Existe uma tentativa de justificar os atos absurdos de Asa contra Sloan, e NÃO. Não tem justificativa pra você tratar alguém como uma posse, os capítulos narrados por ele com certeza são os piores porque ele é um ser humano horrível. Sloan é um tanto inconstante durante a história, o que me irritou bastante. E Carter é muito levado pela emoção e acaba fazendo merda rs. Os muitos prólogos (também fruto do fanservice) são desnecessários. Hoover queria fazer o livro ser bem próximo do real (e em algumas situações realmente representa bem), mas pela escrita ele acabou fantasioso demais. Tem uma cena de “vingança” que é péssima gente, desceu o nível demais haha. O romance que tem dentro do livro é tão fantasioso quanto o resto da história.


❝Acho que essa é a diferença entre ser amada do jeito certo e do jeito errado. Ou você se sente amarrada a uma âncora ou sente que está voando.❞ - p. 258


Eu acho que a intenção da minha rainha era boa, mas pela forma como ela escreveu o livro ele acaba sendo falho na tentativa de alertar sobre relacionamentos abusivos. Deixa muitas coisas que estão ERRADAS, completamente erradas, abertas a interpretação e isso pode ser extremamente perigoso dependendo de quem lê, de como lê. A pior ideia que o livro dá pra mim é que ceder é melhor que correr. E isso não é verdade. Fora os inúmeros gatilhos ao longo da leitura envolvendo estupro, abuso físico e psicológico. Ele é classificado como +18 e eu realmente espero que as pessoas sigam esse conselho porque só assim quem ler vai “compreender” a história.Realmente, essa releitura não deu certo, mas eu ainda amo Colleen Hoover e esse livro a gente esconde dentro dos CoHorts.⠀

https://amzn.to/2o6MrBm



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Muito obrigada pela visita e volte sempre <3

Bela Psicose • 2014 - 2018 Feito com ♥ por Lariz Santana